Segunda Gravidez

Publicado: agosto 12, 2011 em Sei lá o quê

Salvínia, mulata garbosa da cidade baixa, segue mais uma vez para a clínica. Rotina mensal, feita com devoção. Vai ao obstreta fazer o acompanhamento pré-natal. A crianças está prestes a nascer. Há muito tempo está prestes a nascer.

Desta vez a alegria, serenidade e até morosidade costumeiras de Salvínia deram lugar a uma ponta de preocupação. É que já passa do tempo previsto para o nascimento e não há sinais de trabalho de parto. Pudera, durante toda a gestação foram muitas ameaças de aborto, problemas na saúde de Salvínia, suspeitas de problemas com o bebê, os médicos chegaram a aconselhar um aborto terapêutico, a mãe correria risco de morte por manter uma gravidez tão problemática e por tanto tempo.

Não bastasse tudo que já passou, agora Salvínia sentia novamente os enjôos e tonturas do início da gravidez. Não que eles tivessem cessado, na verdade eles acompanharam toda a gravidez, indo e vindo, alternando momentos de alegria e momentos de agonia. Mas os de agora eram iguais aos do início, insuportáveis, conturbados, causadores de grande confusão mental.

Mas, a caminho da clínica, algo novo trouxe um sopro de tranquilidade, um leve movimento no ventre de Salvínia lhe avisava, ainda há vida aqui dentro. Os olhos marejados miraram a recepconista, já acostumada com sua visita mensal, amiga conquistada nas indas e vindas do pré-natal prolongado. Finalmente veria o médico e teria uma resposta definitiva: a criança nascerá ou não?

O aparelho de ultrassom deslizava pelo gel frio na barriga de Salvínia quando o médico revelou com espanto: “Salvínia, você está grávida de novo.” Verdade que Salvínia é mulher prolixa, de vários parceiros e nenhum companheiro. Jamais deixou de prevaricar por conta gravidez. Aí que ela se entregou mais ainda. Jamais imaginou que seria possível isto. Grávida, novamente, antes mesmo de nascer o que já estava lá dentro, um verdadeiro absurdo.

Agora o que fazer? Abortar o novo filho? Aborto o antigo que custa a nascer? Esperar que nasçam o dois? O que fazer? Caso a ser estudado. Pois se um só filho já tem demorado tanto e apresentado tantos problemas para nascer, como esperar o nascimento de dois? Salvínia Salvatori se encontra num dilema.

Depois de doze anos de gravidez, com um parto incerto de uma criança mutilada pela frente, uma nova gravidez. Só pode ser loucura. Só pode acontecer em Salvador.


O novo metrô de Salvador é aprovado antes mesmo da inauguração do velho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s