Arquivo de setembro, 2010

Votar em Dilma?

Publicado: setembro 25, 2010 em Política, Sociedade

Recebi este e-mail ontem e penso que vale a pena divulgá-lo, mesmo que eu não concorde de todo com ele. Não costumo expressar opiniões partidárias, muito menos interferir nas escolhas alheias, mas neste caso trata-se de anunciar algumas verdades que pôem em risco a nossa liberdade, bem fundamental.

_______________________________________________________________________________________

Queridos Irmãos,
Shalom!
Há dias tenho me contido para evitar escrever a vocês e a outros amigos de forma mais clara sobre o que estamos correndo o risco de viver. Entretanto, o Evangelho de hoje ( a luz colocada no alto e nao sob o alqueire) questionou-me bastante e o e-mail de um irmao santo sensato e querido veio a confirmar minha lectio.
Infelizmente, com uma possível vitória do PT, estaremos entrando mais diretamente do que agora no que está sendo chamado de "comunismo moderno". A par disso, todos os escândalos, distorçoes da verdade, mentiras deslavadas e manipulaçao de toda espécie constituem ameaça especial. Será que, daqui a alguns meses, poderemos estar escrevendo um e-mail tao aberto como esse? Será que nao apenas os valores da fé católica (como acontece hoje) como a própria fé nao estarao sendo perseguidos, questionados, despresados? Será que agora mesmo, nesse instante, o sigilo de meu e-mail pessoal nao está sendo rompido?
Falo a vocês como uma pessoa, católica, que nao quer ser uma luz sob um alqueire. Nao falo como formadora ou como co-fundadora. Falo como católica que lê no Catecismo que todo aquele que promover o aborto ou colaborar com ele (e é esse o caso do voto dado ao PT) está automaticamente excomungado. Falo como católica que precisa levar o Evangelho com liberdade a todos os que nao conhecem Jesus. Falo como católica que crê ser o Evangelho e o Magistério a Verdade e a felicidade para todos. Como dizia o Evangelho desse domingo, ou Deus, ou o dinheiro. Nosso povo está esquecendo-se de Deus em nome do dinheiro, está idolatrando um pseudo bem-estar como se "ter um celular no bolso" fosse capaz de apagar todos os erros absurdos do governo e da candidata do governo. É interessante o que os artigos abaixo dizem sobre isso. Se você quiser saber mais, abra o "you-tube" e digite "Dilma". Seus olhos terao mais razoes para abrir-se e rezar, pedindo ao Deus dos Impossíveis, que faça um milagre em favor do Brasil.
Repito que falo como cidadã, como pessoa, como irmã.
Deus nos abençoe a todos e nos livre de todo mal. Dinheiro, especialmente o ilusório, nao é tudo!
Passo a vocês trecho de artigo da revista canadense. Logo a seguir, Dirceu, que, ao convidar Dilma para substituí-lo na Casa Civil, chamou-a de "MInha companheira de armas".
Nós, católicos, nao podemos ser esses tolos!!!
Maria Emmir

"A triste verdade sobre as próximas eleições no Brasil é que não será decidida com base em princípios ou valores. Ninguém se importa se Dilma Roussef tenha assassinado ou roubado.  É apenas o populismo na forma mais cruel. Ela é a senhora Lula.  Os pobres se beneficiaram um pouco do fim da inflação, e se esqueceram que esta situação foi herdada por Lula.
O interessante é que o Partido dos Trabalhadores não é comunista nem o que auxilia os trabalhadores. IBGE, a principal instituição de estatística no Brasil, acaba de lançar a informação dando conta que o analfabetismo no Brasil aumentou, durante o reinado de Lula.
O saneamento básico está no mesmo nível que era no momento da sua coroação. 50 mil brasileiros morrem mortes violentas, a maioria causados por armas e drogas contrabandeadas para o país pelos terroristas marxistas das FARC, os aliados de Lula. 

Esta é uma economia fascista, na sua mais pura definição. Mussolini  estaria orgulhoso.
É difícil para o povo entender como o comunismo mudou a partir de uma utopia social para este fascismo na forma mais primata. O motivo é que eles mantêm a aparência sob o velho charme por causas culturais, como o aborto livre, o casamento gay, o globalismo, o radicalismo ecológico, etc. Assim como na China, dizem-lhe como viver sua vida particular.
Censura ou "controle da mídia" está na agenda de Dilma, da mesma forma como se encontra em pleno andamento na Argentina e Venezuela hoje em dia.
A privacidade fiscal de oponentes Dilma foi quebrada sem consequências. Os direitos fundamentais garantidos pela Constituição nada valem para o Partido dos Trabalhadores, e eles estão desafiando os direitos de propriedade.
Um grupo de camponeses comunistas, todos financiados e liderados por agitadores profissionais, invadem fazendas, matam pessoas (como o fazem agora) e a questão será decidida por consulta popular, da comuna.
Estão sendo preparados para serem peões do governo mundial. São previstos tempos difíceis à frente, para o Brasil.  Dilma é incompetente e teimosa.
A dívida pública do Brasil quase triplicou, e está prestes a explodir, devido às altas taxas de juros. O boom da exportação de minerais e agro-commodities, que impulsionaram a popularidade de Lula, pode acabar a qualquer momento, especialmente se uma crise pesada atingir o dólar. O nível de tributação no Brasil é um dos mais altos do mundo, com 40,5%, e a burocracia, com 85 diferentes impostos na última contagem, é astronômica. Eles não serão mais capazes de aumentar os impostos para sustentar os vagabundos empregados do governo e a alta  corrupção.
Quando o governo quebrar, as ajudas sociais que apoiaram a popularidade de Lula estarão em risco. Sem o crescimento das exportações, haverá menos postos de trabalho, e é possível que eles venham a ter tumultos e protestos.
As coisas têm sempre sido muito fáceis nesse país, onde o alimento cresce até nas rachaduras na calçada.Talvez já esteja na hora de os brasileiros amadurecerem pelo sofrimento.
O projeto petista (Rodrigo Constantino)

O ex-ministro José Dirceu voltou à cena, fazendo um discurso no mínimo constrangedor para a campanha de Dilma, que tenta se manter estrategicamente afastada dele. Dirceu quis deixar claro que a vitória de Dilma nas eleições representaria a escolha popular do projeto do PT para o país. Segundo ele, a vitória de Dilma será ainda mais importante para o partido do que a de Lula, uma vez que o presidente seria "duas vezes maior" que o PT. Representantes do PMDB chegaram a se manifestar, lembrando que Dilma representa uma coligação, e não apenas o PT. Mas para o poderoso Dirceu, os eleitores estarão votando no projeto petista de governo. Resta perguntar: que projeto é esse?

Afinal, o projeto enviado para o TSE pelo PT, contando com a rubrica de Dilma, era uma compilação dos sonhos autoritários dos petistas, na linha da "revolução bolivariana" feita por Chávez na Venezuela. O controle da imprensa, para dar um exemplo de fundamental importância, estaria na ordem do dia segundo este projeto. Como a própria Dilma não desmentiu nem rebateu as afirmações de Dirceu, e como este ainda parece apitar bastante dentro do partido, não temos porque duvidar de suas palavras. O recado está dado, e de forma um tanto clara. Os eleitores, pela ótica dos próprios petistas do alto escalão, estariam dando seu aval ao projeto autoritário de poder no dia 3 de outubro. Será que o povo está ciente disso? Não falo dos mais ignorantes que trocam seu voto por migalhas e promessas vazias, mas dos eleitores de maior escolaridade e renda que votam em Dilma. Eles não são poucos!
(Nao é demais lembrar que o Serra, em um encontro com eleitores pediu que levantasse a mao quem sabia o que era o escândalo da Casa Civil. Menos de 10 pessoas levantaram o braço!  Realmente, é ter um celular e uma tv o que realmente importa: o velho e conhecido "Pao e Circo"!)
Caso o PT seja bem-sucedido em seu projeto de poder, será difícil alegar surpresa. Quem tem acesso aos jornais, quem viu a fala de Dirceu, quem tem um mínimo de capacidade de compreensão dos fatos não poderá fingir que não sabia de nada depois, se caminharmos mais alguns longos passos em direção ao modelo venezuelano. Dirceu avisou. E Dirceu ainda é PT. Não custa lembrar, já que a memória do brasileiro costuma ser fraca, o que Dirceu disse no auge do escândalo do "mensalão", sobre sua relação com o presidente Lula: "Não faço nada que não seja de comum acordo e determinado por ele". E se o recado não estivesse cristalino ainda, Dirceu fez questão de dissipar quaisquer dúvidas: "Sou um soldado do partido e do governo".

O simples fato de José Dirceu ainda ter a relevância que tem dentro do PT, e de fazer as articulações políticas para a campanha de Dilma, demonstra que ele falava a verdade na época. Não aparecer em público na campanha é apenas uma estratégia de marketing, uma vez que sua imagem ainda está arranhada perante o grande público – tanto que a oposição tem batido nesta tecla, lembrando que o eleitor vota em Dilma e leva Dirceu. Mas não existe confissão maior de culpa do PT como um todo no escândalo do "mensalão" do que a permanência de Dirceu na cúpula de poder do partido. O presidente Lula chegou a dizer que tinha sido traído na época; mas sabemos que não foi por Dirceu. Afinal, quem é traído e mantém o traidor por perto, repleto de poder? Somente aquele que não foi traído de verdade, mas sim cúmplice. Dirceu sabe demais. Ele é um "soldado" do partido, e fez tudo de "comum acordo" com o presidente Lula.

O projeto petista é, portanto, aquele defendido por estas mesmas pessoas poderosas dentro do PT. O projeto é o mesmo que contou com o "mensalão" para comprar deputados e concentrar o poder político. O projeto é o mesmo que colocou Erenice Guerra, braço-direito de Dilma, no cargo poderoso que já foi de Dirceu. A explosão de novos escândalos que culminou na saída de Erenice do ministério, mas não do círculo de confiança de Dilma e Lula, representa apenas mais um capítulo desta novela proibida para menores de idade. O projeto petista, enfim, é um só e o mesmo de sempre: tomar o poder total de uma vez, calar a imprensa independente que ainda incomoda muito, e partir para a "revolução bolivariana" brasileira. Hugo Chávez sabe disso e aplaude abertamente o projeto, declarando seu regozijo com a quase certa vitória de Dilma. Seus eleitores não poderão, insisto, alegar desconhecimento dos fatos no futuro.
É muito triste vivenciar uma época em que as futuras vítimas escolhem de bom grado o caminho da servidão. Resta apenas o consolo do filósofo Schopenhauer, cuja morte faz 150 anos dia 21 de setembro: “É preciso ser paciente, pois um homem de intelecção justa entre pessoas enganadas assemelha-se àquele cujo relógio funciona com precisão numa cidade na qual todos os relógios de torre fornecem a hora errada”.Maria é perfeita em intervir sem perturbar os desígnios de Deus para uma alma.
(Pe. Marie Eugène)

_____________________________________________________________________________________

Agora é com vc. Fala disso também.

Anúncios

Nota de suicídio

Publicado: setembro 18, 2010 em Egolatria, Filosofia

“No fundo os escritores passam o tempo todo redigindo a sua nota suicida. Os que se suicidam mesmo são os que a terminam mais cedo.

Há os que se suicidam antes para escapar da terrível agonia de encontrar um final apara a nota. O suicídio substitui o final. O suicídio é o final da obra. E os críticos e editores disfarçam afirmando que trata-se de uma obra inacabada.

Há escritores que escrevem um grande livro (ou uma grande nota de suicídio) e depois nunca mais conseguem escrever outro. atribuem a um bloqueio, ao medo do fracasso. Não é nada disso. É que escreveram a nota, mas esqueceram de suicidar-se. Passam o resto da vida sabendo que faltou alguma coisa na sua obra e não encontram o quê. Faltou o suicídio.

Alguém disse que o escritor publica seus livros para livrar-se deles, senão passaria o resto da vida reescrevendo-os. O suicídio substitui a publicação. Ele é a própria publicação. No caso, o livro livra-se do escritor.

No fundo a agonia é saber quando se terminou. Há os que não sabem quando chegaram ao final da sua nota de suicida. Geralmente, são escritores de uma obra extensa. A crítica elogia sua perplexidade, a sua experimentação com formas diversas. Não sabe que não consegue é terminar a nota.

É claro que o computador agravou a agonia. Talvez uma nota suicida definitiva só possa ser manuscrita ou datilografada à moda antiga, quando o medo de borrar o papel com correções e deixar uma impressão de desleixo para a posteridade leva o autor a ser preciso e sucinto. No computador as correções podem ser feitas infinitas vezes, de forma limpa e eficiente. O suicida pode passar o resto da vida melhorando sua nota. Tese: é impossível escrever uma nota de suicídio num computador.”

Esse texto eu escrevi no primeiro semestre da facul de filosofia (nem lembrava mais dele) e o encontrei enquanto “arrumava” minhas apostilas antigas. Como qualquer escritor, não resisti e alterei alguns trechos. O computador é uma droga mesmo.

Frustação

Publicado: setembro 9, 2010 em Cinema, Comunicação, Egolatria

Hoje fui ao cinema assistir um filme que esperei por meses e saí da sala mais frustado que quando fui assistir “O Grito” pensando tratar-se de um filme de terror. O Último Mestre do Ar é uma m…

Tá legal, sou fã incondicional da Lenda de Aang (por favor pronuciem Eng, não repitam os erros da dublagem do filme). Conheço a história inteira em detalhes. Sei que o filme precisaria resumir todo o livro da água em menos de duas horas de filme, mas aquilo não foi um resumo, foi uma mutilação e uma deturpação. Cheguei a desejar sair da sala antes de acabar o filme (isso só aconteceu quando fui arrastado para assistir “Ghost: do outro lado da vida”, quando saí no meio do filme).

Como diria o esquartejador, vamos por partes. Um dos grandes trunfos da série “Avatar: a lenda de Aang” é a forma como a personalidade dos personagens é bem definida e como essas personalidades evoluem no decorrer da história. O filme joga isso no lixo. Mistura os papeis de cada personagem. Não respeita a evolução do menino Aang e o coloca até assumindo um papel de liderança revolucionária diante da primeira tribo da terra que visita. Esse papel é de Katara, pelo menos até a metade da saga. É dela que ele aprende isto.

Não queria falar da construção do roteiro, mas é ponto notável do filme. O roteirista estava completamente bêbado, ou passou todo o serviço para um estagiário. O filme ficou truncado, como um grande album de recortes. Um descontinuidade sufocante.

Junto com isto a ordem dos fatos e a responsabilidade por eles mostram que os produtores nem se deram o trabalho de assistir a série antes de fazer o filme. A idéia de ir para a tribo da água do norte parte de Soca e é dele a proosta de passar pelas vilas durante a viagem. Pior ainda, passa nas vilas com a intenção de libertá-las. Por favor. Durante todo o livro da água a única coisa que move Aang de tribo em tribo é a curiosidade de rever os lugares que frequentava e conhecer os que ouviu nas histórias dos monges. Aang faz turismo. E os embates são evitados.

Como não vai dar pra falar de tudo num post só, vou terminar falando da dublagem. Pronuncias erradas de nomes (interessantemente os nomes dos membros do povo do fogo são pronunciados com perfeição). Expressão tonal sofrível. Quem dubla Aang parece que estava sob efeito de algum alucinógeno, porque não acompanha a interpretação do ator, que aliás é bem básica.

Quem assistiu e gostou, por favor corrija-me. Quem concorda comigo, confirme. De qualquer forma, fale disso vc também.

Falar sobre rodeios

Publicado: setembro 5, 2010 em Sociedade

Hoje a conversa é curta. Ontem foi meu aniversário, hoje é aniversário da minha mãe, estou super feliz e não quero estragar minha alegria com assuntos pesados. Mas aconteceu, meio sem querer, que conversei agora a pouco com um amigo que admiro muito, falávamos sobre os rodeios. Ele queria saber minha opinião sobre o assunto. Falei pra ele e achei interessante falar disso pra todo mundo. Lá vai.

O rodeio é uma prática medieval, mostra a face mais neandertal do ser humano, que trata outro ser vivo como mero instrumento de diversão, pouco se importando com os resultados da sua “brincadeira”. Não vou me alongar em comentários técnicos ou exemplos, no final do post colocarei alguns links esclarecedores sobre o assunto. Também não estou muito afim de ser imparcial neste assunto (tá bom, quase nunca sou imparcial) pois considero tudo isto uma crueldade e não vou perder meu tempo tentando encontrar justificativas para o comportamento animalesco dos seus praticantes.

Os animais (cavalos e touros) usados nos rodeios reagem de forma instintiva. Nenhum deles foi domesticado, por isso não aceitam ser montados. Além disso são estimulados a um comportamento agressivo quando são maltratados e atiçados antes de entrarem em cena. Para completar o uso do sedém lhes machuca as virilhas, o prepúcio e órgãos internos que passam pela área que ele comprime. E as esporas não furam, mas doem, se não causassem dor, o animal não reagiria.

Esse é um resumo das conclusões de diversos estudos sobre a situação dos animais (touros e cavalos) envolvidos nos rodeios. Eu não posso me estender muito por causa do tempo, irei à missa daqui à pouco. Olhe os links abaixo e tentem conter a ojeriza.

Abaixo a crueldade.

http://www.apasfa.org/futuro/rodeios.shtml
http://giovanadamaceno.blogspot.com/2009/03/crueldade-escondida-nos-rodeios.html
http://www.youtube.com/watch?v=iTIn1n6-ceo
http://www.marica.com.br/2005b/imagens/0109rodeio.htm

Neste link vc pode ler laudo completo do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre a crueldade do uso do sedém.
http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/9/docs/artigo_-_crueis_rodeios_(a_exploracao_economica_da_dor).pdf

Agora é sua vez. Fala disso você também

Banho é para os fracos…

Publicado: setembro 3, 2010 em Sociedade

Antes de qualquer coisa preciso agradecer à Fonte Nova (in memoriam) por finalmente ver algum movimento real neste blog. Mas o assunto de hoje é mais delicado. É uma coisa até vergonhosa mas preciso falar disso.

Moro na cidade de Feira de Santana, Bahia, num conjunto habitacional que se transforma num bairro universitário por causa da próximidade com a Univerdade Estadual de Feira de Santana (UEFS), o FeiraVI. Aqui no Feira VI contamos com todos os serviços básicos: água, esgoto, iluminação, calçamento, praças esportivas (campos de baba ou pelada). Acontece que o primeiro item sumiu.

Completaram-se hoje quatro finais-de-semana sem água. Quatro FINAIS-DE-SEMANA. Sempre no final-de-semana. É tipo assim, chega a sexta-feira e a água some, sai pra curtir o findi e só volta no dimingo à noite. Tudo bem, o abastecimento de água do Feira VI nunca foi lá essas maravilhas, na maior parte do ano a água só chega pelos canos à noite, por isso praticamente todos os moradores dispõe de reservatórios. Mas, tendo água toda noite noite, os reservatórios ficam sempre cheios. Questão de adaptação. Acontece que não há água nos reservatórios e nesta semana o que chegou pelos canos não tinha pressão o bastante para subir aos reservatórios. Estou sem água desde a terça-feira. Meu reservatório de emergência secou ontem à noite.

Não posso tomar banho, lavar meus belos cachos. Tudo porque… Sei lá porque. O jeito será retornar aos tempos de outrora, cavar um poço e puxar água num balde amarrado por uma corda. Mas e daí? Banho é para os fracos. Molho uma esponja e esfrego no corpo (ao menos nas partes principais) e passo uma toalha molhada por cima, voila, estou limpinho, pronto pra fazer uma visita ao escritório da Embasa.

Fonte Nova

Publicado: setembro 1, 2010 em Sociedade

Este post está atrasadão. Na verdade era para escrever na segunda-feira, mas me entreti com outras futilidades e acabei esquecendo. É assim mesmo, tanta coisa pra fazer que acabo fazendo nenhuma. Bem, vamos ao post.

Neste domingo finalmente a Velha Fonte Nova foi implodida. Desceu ao sepulcro aquela que já estava mais morta que viva. Um espetáculo. Gente de todos os cantos se aglomeraram ao redor do velho estádio para despedir-se. A coisa toda foi noticiada à exaustão. Os amigos da mídia trataram de conferir ao fato a dramaticidade merecida. Lágrimas. Homenagens. Discursos e muita festa (afinal de contas estamos na Bahia).

Acontece que um comentário me despertou a necessidade de escrever este post. Na manhã da segunda-feira, no mercadinho perto de casa, ouvi uma senhora conturbada queixando-se contra as manifestações de pesar e carinho das pessoas diante da queda da Fonte Nova. Falava sobre apego aos bens materiais, falta de amor ao próximo, atenção à Palavra de Deus. E fiquei pensando comigo. Será que esta mulher compreende a função do simbólico na vida do ser humano?

Não é pelas pedras da finada que tantos choravam e batiam no peito, mas pelo símbolo que ruia diante de seus olhos. O pai que foi levado na infância paa assistir o Ba-Vi e repetiu o gesto com seu filho. O casal que se conheceu durante um Ipiranga e Bahia. O torcedor que vibrou, chorou, se alegrou e até pensou em morrer diante do seu time.O fiel que encontrou a Deus durante um show religioso, culto, missa, jornada evangelística.  Todos que passaram pela Fonte Nova e tiveram suas vidas marcadas enchergavam ali não um estádio mas uma espécie de templo simbólico, onde abrigavam suas dores, vitórias, alegrias e derrotas. Não, não foi um estádio que foi implodido, foi a história de milhares de pessoas que ali alcançaram os limites mais altos de suas emoções.

Agora é aguardar a construção da Nova Fonte Nova. Que jamais será a Fonte Nova. Não trará consigo as histórias, os amores, os terrores que a Velha trazia. Mas começará do zero (na sombra da antiga é claro) uma nova história. Novas experiências serão vividas ali. E pouco a pouco, de bela obra arquitetônica, fria e sem vida, tornar-se-á um síbolo vivo para as gerações vindouras.

Adeus Fonte Nova.